BV Financeira é condenada a indenizar cliente por inscrição indevida no Serasa

BV Financeira é condenada
A empresa BV FINANCEIRA S.A. foi condenada a pagar R$ 8 mil reais a título de dano moral a cliente que adquiriu veículo por meio de crédito bancário, quitou a dívida e teve seu nome negativado indevidamente. 

Segundo a ação, a BV FINANCEIRA S.A. contestou, entretanto, não teve seu pedido reconhecido, pois, não efetuou a devida baixa nos registros de financiamento após a cliente quitar a dívida.

A cliente, após comprar veículo com crédito de financiamento junto à BV Financeira S.A., resolveu quitar o débito no valor total de R$ 56.371,38, em 19 de junho de 2015, após ter pago algumas parcelas do financiamento.

Após a quitação do financiamento, a consumidora procurou a BV Financeira S.A. para que a liberação do gravame do automóvel junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) fosse feito e a posse do veículo fosse firmada a ela. O gravame é o instrumento pelo qual financeiras impedem que compradores de veículo façam a transferência do veículo até que o financiamento tenha sido pago. A cliente foi informada pela empresa que poderia acompanhar e identificar a liberação pelo site da financeira na Internet, ocorre que, apesar de constar que as parcelas foram quitadas, não identificou qualquer apontamento sobre a liberação do veículo.

Com a negativa, a cliente entrou em contato com a BV Financeira S.A. pedindo pela efetivação do quitamento com a retirada do gravame incidente sobre o automóvel, o que não foi atendido pela empresa. A cliente, então, entrou com ação judicial.

O magistrado, titular da 3ª Vara Cível da Comarca de Fortaleza, aceitou o pedido de tutela antecipada, determinando que a empresa formalizasse junto ao Detran a venda e por consequência a extinção do gravame.

A BV Financeira S.A. se defendeu afirmando que a baixa do gravame foi realizada no dia 4 de agosto de 2015. Alegou que a demora ocorreu por causa da devolução do cheque da autora. O magistrado, no entanto, não acatou a contestação da financeira afirmando que a baixa foi efetuada após o período legal de 10 dias previsto em Resolução do Conselho Nacional de Trânsito.

"A BV Financeira praticou conduta ilícita em não efetuar a baixa do gravame em tempo razoável após a quitação do contrato", escreveu nos autos. 

*Com informações do TJCE

Revisão de Dívidas Empresariais x Bancárias

Revisão de Dívidas
A Renegociação de Dívidas Bancárias pode Salvar sua Empresa, realize uma revisão das dívidas empresariais x bancárias.

Você já descobriu que o volume que se paga mensalmente aos bancos, além de principal e também os juros abusivos pode ser o causador da situação de “falta de capacidade de pagamento” que sua empresa está vivendo no momento?

Quando as vendas caem ou se mantém com descontos, à margem de lucro tende a cair, por mais que você busque reduzir seus custos fixos, ainda assim acaba ocasionando um desequilíbrio entre margem de contribuição e custo fixo, o que resulta em prejuízo e o prejuízo nada mais é do que a geração de caixa negativo.

Por este motivo, você vai ter que estar buscando recursos nos bancos, porém, no momento atual (dezembro de 2017) onde os bancos retiraram no último ano, mais de 1 trilhão de reais da Economia, sua empresa não tem mais os limites que tempos atrás estavam disponíveis, com isso, sua empresa fica sem recursos financeiros para poder cobrir os prejuízos que vem ocorrendo de uma maneira geral mensalmente.

Assim sendo, o caixa de sua empresa vive estrangulado. Uma alternativa interessante é a Revisão de Dívidas Bancárias, pois, nós realizamos esse trabalho durante anos para empresas, temos profissionais altamente qualificados, com grande vivência (banco/empresa), trabalhando exclusivamente com a Renegociação de Dívidas Bancárias.

Temos certeza que conseguiremos para sua empresa resultados que jamais serão obtidos numa negociação direta entre empresário x banco, até porque, não há como se tornar um especialista em uma única vez estas negociações.

A Revisão de dívidas bancárias requer experiência, e nossa equipe tem essa expertise, nossas negociações de dívidas bancárias são bem realizadas, focando a empresa como a maior beneficiada.

Trabalhamos buscando a carência no processo administrativo de renegociação, geralmente é o primeiro desejo do empresário, para que possa “fazer um caixa”, alongamos o prazo de pagamento, reduzimos as taxas de juros, eliminamos garantias desde que as mesmas não sejam garantias reais, com isso, a empresa passa viver um cenário totalmente diferente, cenário saudável onde vai poder focar exclusivamente no crescimento e trazer resultados ainda melhores.

Fale conosco, podemos resolver o problema do alto endividamento bancário de sua empresa.


Whatsapp: (81) 99773.2024
Fone: (81) 4101.8219

Pernambuco, Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Moreno, Grande Recife, Caruaru, Gravatá, Paudalho, Ipojuca, Cabo de Santo Agostinho, Itamaracá, Paulista, São José, Palhoça, João Pessoa, Alagoas, Sergipe, Brasilia, São Paulo, Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto, Osasco, Guarulhos, Jundiaí, Itu, Bauru, Marília, São Jose dos Campos, Taubaté, Santos, Itapetininga, Bragança Paulista, Pindamonhangaba, Itapecerica da Serra, Cotia, Indaiatuba, Araçatuba, Rio Claro, Araraquara, São Carlos, Hortolândia, Itapevi, Itapeva, Americana, Presidente Prudente, Jacareí, Sumaré, Taboão da Serra, Barueri, Limeira, Suzano, Franca, Piracicaba, Mogi as Cruzes, Grande ABC, São Jose do Rio Preto, entre outras cidades do Brasil.

Recife, Curitiba, Rio de Janeiro, Maceió, João Pessoa, São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Florianópolis, Belo Horizonte, Goiânia, Vitória, Salvador, Fortaleza, Recife, Aracaju, João Pessoa, Natal, Belém, Manaus, Rio Branco, Palmas, Cuiabá, Campo Grande, entre outras cidades do país.

Negociações de Dívidas Bancárias: Saiba mais!

Negociações de Dívidas Bancárias, a medida que a situação da economia do nosso país se consolida de maneira negativa, além da população ser afetada fortemente com o desemprego, as empresas também são sacrificadas.

O baixo crescimento da economia, alta no desemprego, falta de credibilidade nas instituições, são alguns dos fatores que afetam diretamente os empresários, que muitas vezes vem carregando as dificuldades a muito tempo, pois, se os mesmos pagam 100% de juros ao mês aos bancos, eles precisam, no mínimo, cobrar 101% de seus clientes, o que dificilmente acontece.

Vendo que a solução está distante, e sentindo-se pressionado pelos credores, para se manter vivo, acaba sendo levado a “renegociar” as dividas bancarias com os bancos credores, e aí começa um pesadelo que trará a empresa, no máximo, 03 meses de tranquilidade.

Por que?

Os bancos são os sócios que mais ganham de sua empresa, os mesmos tem mais informações do negócio (situação financeira) do que você mesmo; sabe que a empresa vem obtendo recursos em outros bancos e quanto, entre outras informações.

Ai lhe oferecem a possibilidade de diminuir o valor dos pagamentos que sua empresa realiza mensalmente, amortizando empréstimos passados; o empresário é orientado no sentido que as parcelas menores vão trazer um alivio ao Caixa da empresa, muitas vezes é induzido a aceitar essa proposta.

Nesse momento, em caso de aceite pelo empresário, qualquer dúvida do passado deverá ser esquecida, uma vez que um novo contrato será confeccionado e substituíra os contratos anteriores, além de que, as taxas do contrato que está sendo assinado, com certeza trarão taxas de juros maiores que as anteriores, justificada pelo cenário da economia, porém, o argumento do gerente será que “mesmo assim as parcelas ficarão menores que as atuais”, e esse problema acaba se resolvendo momentaneamente, para depois de alguns meses voltar à tona e trazer sérios problemas a capacidade de pagamento da empresa.

Nos últimos meses essa realidade foi a maior causa de empresários estar buscando apoio para solucionar o endividamento de suas respectivas empresas; situações que poderiam ser melhor conduzidas inicialmente, acabaram sendo “solucionadas” pela própria gestão (solução caseira) e com isso o “estrago” é grande.

Podemos realizar a melhor negociação junto aos bancos que sua empresa pode obter; temos profissionais especializados, com amplo conhecimento, grande capacidade de negociar e trazer a melhor alternativa à sua empresa, alongando prazos, reduzindo parcelas, diminuindo ou eliminando garantias e discutindo administrativamente cobranças indevidas realizadas durante os anos nas contas da empresa e nos contratos bancários.

Antes de tomar qualquer decisão como essa, entre em contato.

Negociamos os honorários a assinatura dos contratos com os bancos (Honorários vinculados ao Sucesso).


Whatsapp: (81) 99773.2024
Fone: (81) 4101.8219

Pernambuco, Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Moreno, Grande Recife, Caruaru, Gravatá, Paudalho, Ipojuca, Cabo de Santo Agostinho, Itamaracá, Paulista, São José, Palhoça, João Pessoa, Alagoas, Sergipe, Brasilia, São Paulo, Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto, Osasco, Guarulhos, Jundiaí, Itu, Bauru, Marília, São Jose dos Campos, Taubaté, Santos, Itapetininga, Bragança Paulista, Pindamonhangaba, Itapecerica da Serra, Cotia, Indaiatuba, Araçatuba, Rio Claro, Araraquara, São Carlos, Hortolândia, Itapevi, Itapeva, Americana, Presidente Prudente, Jacareí, Sumaré, Taboão da Serra, Barueri, Limeira, Suzano, Franca, Piracicaba, Mogi as Cruzes, Grande ABC, São Jose do Rio Preto, entre outras cidades do Brasil.

Recife, Curitiba, Rio de Janeiro, Maceió, João Pessoa, São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Florianópolis, Belo Horizonte, Goiânia, Vitória, Salvador, Fortaleza, Recife, Aracaju, João Pessoa, Natal, Belém, Manaus, Rio Branco, Palmas, Cuiabá, Campo Grande, entre outras cidades do país.

Não permita que sua empresa feche as portas

Não permita que sua empresa feche as portas
A crise a qual estamos inseridos, se não for a maior já vivida pelo país é uma das maiores e com expectativa de retomada lenta, entretanto, não podemos ficar inertes e aguardar a melhora na economia, precisamos buscar alternativas para solucionar nossos problemas e de nossas empresas.

Queda nas vendas, custo fixo alto, aumento do custo do dinheiro anteriormente utilizado, aumento da inadimplência, falta de fluxo de caixa, entre outros, esses são nossos desafios diários; simplesmente “desistir” e falar que não dá mais para continuar operando, nem sempre é a melhor saída.

Trabalhamos com nossos parceiros em diversas frentes, buscando otimizar resultados e o dia-a-dia das empresas, porem quando a situação atual engloba diversos itens que citamos acima, uma alternativa muito interessante é a Renegociação da Dívida Bancária; porém é preciso ter muito cuidado com essa alternativa.

Vamos esclarecer.

A renegociação de dívidas bancárias em atraso, até 2 anos atrás, não era uma alternativa apresentada pelos bancos, porem, diante da situação que expõe o banco ao não recebimento dos “empréstimos”, esta possibilidade passou a ser uma “alternativa”, só que na grande maioria das vezes atende exclusivamente aos interesses dos bancos.

Quando a Renegociação das Dívidas Bancárias é realizada por profissionais (especialistas) o cenário muda por completo, a renegociação tem por objetivo atender ao cliente, que reconhece a dívida e quer pagar, diante disso inicia-se todo um trabalho de planejamento específico para cada cliente, focando: alongar os prazos, por consequência reduzir ao máximo os valores das parcelas, com taxas de juros praticadas no mercado (taxas de juros que são possíveis de serem absorvidas pela empresa) e também a possibilidade de eliminar as garantias (exceto garantias reais), para que a empresa possa trabalhar com “capacidade de pagamento”. 

Esse cenário não é obtido em qualquer renegociação, até porque a renegociação numa empresa acontece poucas vezes em sua existência, porem para a Prosiga, esse é seu dia-a-dia, o que lhe cria “músculos” para brigar pelo cliente.

Todo o relato acima da renegociação realizada por nossa equipe, antes de ser colocada em pratica, é feita uma análise da capacidade de pagamento da empresa, para então ser formalizada a proposta aos bancos credores.

Tudo isso na esfera administrativa, que significa: mais rápido e com menor custo.

Consulte-nos!!!

Temos a melhor alternativa de solução para o Passivo Bancário de sua Empresa.

Renegociamos a Dívida de sua Empresa!!!

Whatsapp: (81) 99773.2024
Fone: (81) 4101.8219

Pernambuco, Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Moreno, Grande Recife, Caruaru, Gravatá, Paudalho, Ipojuca, Cabo de Santo Agostinho, Itamaracá, Paulista, São José, Palhoça, João Pessoa, Alagoas, Sergipe, Brasilia, São Paulo, Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto, Osasco, Guarulhos, Jundiaí, Itu, Bauru, Marília, São Jose dos Campos, Taubaté, Santos, Itapetininga, Bragança Paulista, Pindamonhangaba, Itapecerica da Serra, Cotia, Indaiatuba, Araçatuba, Rio Claro, Araraquara, São Carlos, Hortolândia, Itapevi, Itapeva, Americana, Presidente Prudente, Jacareí, Sumaré, Taboão da Serra, Barueri, Limeira, Suzano, Franca, Piracicaba, Mogi as Cruzes, Grande ABC, São Jose do Rio Preto, entre outras cidades do Brasil.

Recife, Curitiba, Rio de Janeiro, Maceió, João Pessoa, São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Florianópolis, Belo Horizonte, Goiânia, Vitória, Salvador, Fortaleza, Recife, Aracaju, João Pessoa, Natal, Belém, Manaus, Rio Branco, Palmas, Cuiabá, Campo Grande, entre outras cidades do país.

Hugo Cesar Hoeschl - Corajoso Procurador

Para quem ainda não sabe, o Dr. Hugo Cesar Hoeschl é o corajoso procurador ex-promotor que vem sendo vitima da engrenagem e fábrica de notícias com títulos sensacionalistas e inverdades que se disseminam na internet, pois, o mesmo é profundo conhecedor de sistemas de inteligência, criador e co-criador de alguns dos principais sistemas em uso no Brasil nessa área, coordenador científico do projeto de criação do Modelo Conceitual para o Combate à Lavagem de Dinheiro no Brasil.

O Dr. Hugo Cesar Hoeschl  vem criando e publicando artigos científicos na internet durante anos, por este motivo, seu nome ganhou grande notoriedade e respeito, ocorre, que se aproveitando desta notoriedade e respeito adquirida durante anos de trabalho, jornalistas e sites estão lucrando com a venda de anúncios e publicidade. Quanto maior a audiência da página, mais ela ganhará com os mesmos.

Segundo simples pesquisa no site ALEXA, que mede audiência digital, o site Conjur tem uma média de 1.917.915 visitantes únicos por mês, estes sites não divulgam quanto ganham, entretanto, segundo anúncios do nosso próprio site, que utiliza a mesma plataforma de anúncios, o adsense, podemos afirmar que os anúncios da revista eletrônica Conjur rendam de R$ 100 mil a R$ 150 mil por mês.

Em geral, sob títulos sensacionalistas, com notícias que embaralham verdade e mentira, a revista eletrônica Conjur e seus similares se retroalimentam, com ajuda de páginas e perfis no Facebook. 

Em 29/05/2013, por exemplo, o site Conjur, aproveitando-se da notoriedade e respeito do nome de Dr Hugo Cesar Hoeschl, veiculou matéria com o título "Justiça e MP investigam uso de Oscips como fachada" a qual foi objeto de registro de Boletim de Ocorrência e da respectiva RESPOSTA.

Como se não bastasse o lucro obtido com os anúncios e publicidade com a primeira matéria  envolvendo o nome do Dr Hugo Cesar Hoeschl, a resista eletrônica Conjur, querendo lucrar ainda mais, criou nova matéria com o título "MPF rejeita denúncia e expõe farsa de procurador da Fazenda", entretanto, nenhuma delas apresenta elementos factuais que comprovassem a manchete. 

Não existe no mundo exagero mais belo que a gratidão, entretanto, não é assim que a revista eletrônica Conjur entende, pois, após muita dedicação e trabalhos científicos desenvolvidos e publicados pelo Dr Hugo Cesar Hoeschl na revista eletrônica Conjur, desde sua criação, sem que o mesmo fosse remunerado por nenhum centavo de real, agora, a mesma revista eletrônica Conjur e seu dono lucram com a veiculação de notícias que mancham um dos mais respeitados autores não remunerado que a mesma já teve.

Somos admiradores e acompanhamos com atenção e muita gratidão as publicações do Dr. Hugo Cesar Hoeschl, onde o mesmo, através de pesquisas científicas e demonstrações técnicas, com conhecimento tecnológico, contribui para o desenvolvimento de cidadãos despertos que podem fiscalizar possíveis fraudes em demostrações e relatórios de elevados valores.

Alguns trabalhos divulgados pelo Dr Hugo Cesar Hoeschl na revista eletrônica Conjur são:
24/07/09 O Direito Constitucional nunca esteve tão no centro das relações jurídicas
28/06/06 Tecnologia permite monitoração inteligente de conversas
29/05/06 É mais útil monitorar ligações do que bloquear celular
5/04/06 Brasil é representado no congresso mundial de informática
1/02/06 Ontoweb: A nova era das ferramentas de busca
2/08/05 Pesquisadores internacionais avaliam e-Gov no Brasil
6/07/05 Tecnologia é instrumento de consolidação da democracia
4/04/05 Professor vai falar dos avanços brasileiros na área de e-Gov
10/03/05 Consorcio internacional para integração de culturas
14/02/05 Conferência debate interação de informações públicas
7/02/05 Brasileiro supera líderes em trabalhos científicos
10/08/04 Brasileiros superam Nasa e IBM em evento internacional
5/07/04 Cientista brasileiro ultrapassa 100 artigos publicados
2/06/04 Investigação policial digital entra na era do e-Gov
21/05/04 É preciso pensar em uma nova perspectiva de organização social
17/05/04 Ciberespaço é o melhor produto da revolução da comunicação
13/05/04 Sistema eficiente é respaldado em bons conhecimentos
7/05/04 Ligação entre Direito e tecnologia da informação é milenar
16/04/04 Cientista brasileiro faz parte de referências no exterior
29/03/04 Ijuris bate recorde brasileiro de aprovações em comitê
15/03/04 Ijuris lança livro com tese de pós-doutorado de Hoeschl
27/02/04 Argentina será sede de simpósio de informática e Direito
13/01/04 Sistema Olimpo é selecionado para publicação na Europa
21/11/03 Brasileiro falará sobre comércio eletrônico em Estocolmo
4/11/03 "Aperfeiçoamento constante é a nova exigência do mercado."
29/10/03 "O Direito e o regulamento dos campeonatos de Fórmula 1."
24/09/03 Conferência traz conceito de e-car e discute e-sociedade
22/09/03 Conferência internacional discute inovações tecnológicas
18/09/03 Ijuris se destaca em eventos internacionais sobre E-Gov
13/09/03 Ijuris publica coletânea de pesquisas realizadas na Ufsc
12/08/03 Direito digital será discutido em videoconferência
10/08/03 Cientista renomado visita Florianópolis e Ijuris
28/07/03 Cientistas querem construir robôs para jogar contra humanos
18/07/03 Comitê Gestor da ICP-Brasil conta com novos membros
28/05/03 Conselho de Segurança da ONU e Robocup
2/05/03 Ijuris é destaque no RoboCup American Open
23/04/03 Pesquisadores brasileiros apresentam sistema na França
13/04/03 Excelência em Governo Eletrônico
30/03/03 Novo Portal para os Consumidores é lançado em SC
16/03/03 Os conflitos e os direitos da vida digital
15/03/03 Pesquisadores brasileiros lançam livro sobre e-Gov
18/02/03 Tecnologia da informação jurídica
12/02/03 Especialização em Direito Digital em SC.
5/02/03 O Conselho de Segurança da ONU
31/01/03 Novas tendências tecno-jurídicas mundiais.
28/01/03 Revolução e capacitação no ensino jurídico
27/01/03 Pesquisando a Sociedade da Informação
25/01/03 Projeto e-Courts: Fórum Eletrônico no Brasil.
21/01/03 MBA em E-Gov, pela Internet, desenvolvido pelo Ijuris
17/01/03 Presidente da Fundação UNL da ONU visita o Ijuris em SC
15/12/02 Novidades da nova versão do Sistema Olimpo
5/12/02 TI Jurídica para o Conselho de Segurança da ONU
14/11/02 Trabalhos brasileiros são apresentados na Espanha
11/11/02 O Governo Eletrônico e a Exclusão Digital
11/11/02 Brasil conta com três trabalhos selecionados na Índia
31/10/02 UFSC e IJURIS criam sistema de garimpagem de texto
22/10/02 Questões críticas: o futuro do Governo Eletrônico

O que se lamenta diante destes fatos é a falta de profissionalismo por parte de qualquer jornalista que se curve aos interesses obscuros com objetivo de lucro as custas de uma vida inteira de trabalho honesto e dedicação, comprometendo um cidadão respeitado, que luta constantemente para passar o país a limpo e por uma democracia plena, uma sociedade Justa, em defesa dos direitos garantidos na Constituição brasileira e por uma imprensa livre.

Se não quiser adoecer – “Fale de seus sentimentos”

Se não quiser adoecer – “Fale de seus sentimentos”

Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo a repressão dos sentimentos degenera até em câncer. Então vamos desabafar, confidenciar, partilhar nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados.O diálogo, a fala, a palavra, é um poderoso remédio e excelente terapia..

Se não quiser adoecer – “Tome decisão”

A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagem e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.

Se não quiser adoecer – “Busque soluções”

Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas.Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença.

Se não quiser adoecer – “Não viva de aparências”

Quem esconde a realidade finge, faz pose, quer sempre dar a impressão que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho etc., está acumulando toneladas de peso… uma estátua de bronze, mas com pés de barro.Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas com muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.

Se não quiser adoecer – “Aceite-se”

A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.

Se não quiser adoecer – “Confie”

Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança, não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em Deus.

Se não quiser adoecer – “Não viva SEMPRE triste!”

O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive.

“O bom humor nos salva das mãos do doutor”. Alegria é saúde e terapia.

Dr. Dráuzio Varella

BB, Caixa, Itaú, Bradesco e Santander criam gestora de inteligência de crédito


Para quem ainda não sabe a gestora de inteligência de crédito (GIC) foi criada para desenvolver um banco de dados para agregar, conciliar e tratar informações cadastrais e creditícias de todos os consumidores brasileiros, tanto de pessoas físicas como de jurídicas. 

Com esta iniciativa, o Banco do Brasil (BB), o Bradesco, o Santander Brasil, a Caixa Econômica Federal e o Itaú Unibanco esperam uma maior troca de informações, ampliando a eficiência na gestão e liberação do crédito.

Segundo "especialistas" a gestora de inteligência de crédito e o consequente aperfeiçoamento da análise e gestão do crédito vão contribuir para a queda de spreads, da inadimplência e do superendividamento dos consumidores.

As razões que levaram os bancos a criação da gestora de inteligência de crédito, é a expertise no setor bancário e na gestão de informações oriundas do sistema financeiro, que permite melhor conhecimento de seus clientes.

A gestora de inteligência de crédito é estruturada como sociedade anônima, com controle compartilhado entre as partes, sendo que cada uma detém 20% do capital social da mesma. O conselho de administração da gestora é composto por integrantes indicados pelas partes e os executivos terão dedicação exclusiva ao negócio.

Banco Pan S.A.

O Banco Pan S.A. é uma instituição financeira brasileira que atua com foco nos seguintes produtos: financiamento de veículos, crédito pessoal, crédito consignado e cartões de crédito. Sua sede fica localizada em São Paulo e foi criado pelo empresário e apresentador de programas de televisão Silvio Santos. Hoje, o Banco Pan S.A. é de propriedade da Caixa Econômica Federal e do grupo BTG Pactual. É Sociedade Anônima, e tem atuação em todos os estados brasileiros.

Qual o número do Banco Pan?

CódigoBanco
623Banco Panamericano S.A.
Telefones

Fale com o Pan
SAC0800 776 8000
Deficientes auditivos e de fala0800 776 2200
Ouvidoria0800 776 9595

História

A história do Banco Pan iniciou-se em 1963, com o Real Sul S/A, adquirido pelo grupo Silvio Santos no ano de 1969. Nos anos de 1990, o atual banco pan se chamava Banco PanAmericano, e levou esse nome até o ano de 2013. Desde 2010 a Caixa Econômica Federal também tinha uma boa parte das ações da instituição financeira.

Em 2010, o Banco PanAmericano sofreu um rombo milionário, e o acionista majoritário na época, Silvio Santos, anunciou um empréstimo de 2,5 milhões de reais junto ao FGC (Fundo Garantidor de Crédito) para cobrir as fraudes encontradas no Banco PanAmericano

Em 2011, o Banco PanAmericano foi vendido pelo Silvio Santos para o Grupo BTG Pactual, entretanto, Silvio não recebeu nada pela venda, pois o grupo que assumiu o Banco assumiu também suas dívidas. 

No ano de 2013 foi lançada uma nova marca, indicando uma nova jornada: surge então o Banco Pan, propriedade dividida entre o BTG Pactual, com 51% das ações, e a Caixa Econômica Federal, com 49%.

PDG Realty e PDG Companhia Securitizadora apresentam novo plano de recuperação judicial

A PDG Realty e a PDG Companhia Securitizadora apresentaram um novo plano de recuperação judicial nesta sexta feira dia 17/11/2017. Segundo a PDG Realty e a PDG Companhia Securitizadora, que não deram mais informações sobre as mudanças, a elaboração do plano de recuperação judicial reflete ajustes que resultaram das negociações mantidas entre o Grupo PDG e seus credores ao longo das últimas semanas.

O processo de recuperação judicial das empresas envolve as demais 510 sociedades integrantes do seu grupo econômico PDG.

A PDG Realty através de seu diretor Vladimir Ranevsky, afirmou no início do mês que acredita na aprovação do plano de recuperação judicial que será apresentado na assembleia geral dos credores. A primeira convocação está marcada para dia 22/11, e a segunda, para o dia 30/11.
 

Copyright © 2007 - 2018 Prosiga | Tá na Prosiga, Tá no [LUCRO] Todos os direitos reservados.

Site Seguro
Política de Privacidade. A Prosiga preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, entretanto não nos responsabilizamos por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes. Você pode usar as informações contidas nesse site, mas não deve nunca deixar de fazer suas próprias pesquisas e coleta de informações antes de tomar qualquer decisão. Nós procuramos responder dúvidas dos nossos leitores. Isso não significa que somos obrigados a responder todas as perguntas que recebemos. Também não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas. Elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc.
Tudo Sobre:

Recuperação de Créditos, Cobrança Judicial, Recuperação de Empresas, Revisão de Dívidas Empresariais, Banco Itaú S.A., Banco Bradesco S.A., Banco Volkswagen S.A., Busca e Apreensão, Banco Toyota S.A., Banco Santander S.A., Banco Itaucard S.A., Banco Votorantim S.A., HSBC Bank Brasil S.A., HSBC Bank Brasil S.A., Recuperação de Créditos, Banco Panamericano S.A., Dano Moral, Banco Randon S.A., Banco Sofisa S.A., Banco Mercedes-Bens do Brasil S.A., Banco Safra S.A.>, BV Financeira S.A., Solução de Dívidas, Banco Honda S.A. , Hipercard Banco Múltiplo S.A., Banco Morgan Stanley S.A., Banco John Deere S.A., SICREDI S.A., Banco Alfa S.A., Banco ABN AMRO Real S.A., Banco do Brasil S.A., Banco Capital S.A., Banco Petra S.A., Scania Banco S.A.

.